Blog

Doenças colorretais – grupo 1

27/08/2018 por ·

Doenças colorretais – grupo 1

O CMI Colorretal diagnostica e trata diversos tipos de doenças que podem atingir o intestino grosso (ou cólon) e o reto.  Neste primeiro material da série “Doenças Colorretais” abordamos três delas: retocolite ulcerativa, pólipos intestinais e incontinência anal.

A retocolite ulcerativa só acomete o intestino grosso e atinge a camada mais interna do órgão. Apresenta lesões contínuas e a incidência é, principalmente, em pessoas de 15 a 40 anos, mas há registros também de casos em crianças.  A doença não tem causa definida e é possível tratá-la com medicamentos. O principal sintoma é a diarreia crônica com sangue, sendo comum anemia como patologia associada.

O pólipo intestinal é uma alteração causada pelo crescimento anormal da mucosa do intestino grosso. É comum e afeta de 15 a 20% da população. Inicialmente, são pequenos e benignos, mas podem crescer e será necessária a remoção – até para prevenir o câncer. Atinge, principalmente, pessoas com mais de 50 anos. Fique atento: os sintomas são sangramentos, saída de muco nas fezes, alterações no funcionamento do intestino e dores abdominais. Porém, os pólipos podem não apresentar sinais.

Incontinência anal é a incapacidade de controlar a eliminação, pelo ânus, de gases ou fezes de consistência líquida, pastosa ou sólida até o momento desejado. As causas podem ser variadas, mas a principal é uma deficiência anorretal que pode ser causada pelo parto vaginal ou outras cirurgias, além de alterações neurológicas (predominantemente em idosos). O tratamento não precisa ser necessariamente cirúrgico, há correções alimentares e exercícios de recondicionamento do controle anal (biofeedback), que apresentam bons resultados.